Planos de Saúde e Psicologia

Atualmente emito recibo aceito por planos de saúde para reembolso (total ou parcial) das consultas realizadas em consultório particular. Portanto, não sou credenciado a nenhum plano de saúde diretamente e gostaria de esclarecer o porquê neste breve texto.

Os planos de saúde, por determinação da Agência Nacional de Saúde, ANS, passaram a ser obrigados a cobrir sessões de psicoterapia há alguns anos. Contudo, há sérios problemas sobre planos de saúde no Brasil.

Além dos problemas já de conhecimento do grande público como a baixa remuneração dos profissionais conveniados (as recentes greves de 2012 de médicos, dentistas e outros profissionais da saúde deixam isto bem evidente), nas demoras para marcar consultas, realizar exames, etc, há especificidades para o campo de atuação do psicólogo: o número de sessões é limitado e a remuneração por atendimento é aviltante na grande maioria dos planos de saúde.

Há profissionais que acreditam que a grande demanda dos planos de saúde pode contrabalançar as baixas remunerações, atendendo incessantemente e a toda e qualquer demanda, indiscriminadamente. Ora, se o profissional está num ritmo incessante de trabalho para conseguir sobreviver, como continuará seus estudos e como realizará as outras atividades que uma atuação como clínico exigem? Ganhando aviltantemente pouco e sem tempo de se desenvolver, é muito difícil manter a qualidade do trabalho.

E também os planos de saúde fazem outras práticas, ainda piores: existem clínicas que são conveniadas aos planos de saúde e que repassam clientes a psicólogos “contratados” pela clínica, numa espécie de terceirização precária, repassando uma parte da já pequena remuneração que recebem do plano de saúde para o psicólogo. Geralmente o psicólogo que se sujeita a trabalhar nestas condições é um recém-graduado (que ainda não arrumou um emprego que pague bem, sendo comum abandonar a clínica – e os pacientes no meio do tratamento – quando arruma emprego melhor) ou que está em situação de aceitar qualquer coisa.

Desta forma, este texto pretende ser um aviso a quem pensa em recorrer a planos de saúde sobre suas práticas perversas e que muitas vezes resultam em atendimentos de péssima qualidade.

Algo que pode ser uma saída possível é pedir reembolso ao plano de saúde para fazer tratamento particular. Como escrevi no texto Quanto custa fazer análise?, o dinheiro pode ser importante material de análise e é importante falar sobre ele. Pode ser importante falar de dinheiro com o psicólogo mesmo para quem for fazer terapia por plano de saúde, ainda que não seja para falar de remuneração das sessões.

O reembolso também dá a quem procura tratamento maior possibilidade de escolha do profissional que deseja.

Contudo, alguns planos de saúde pedem que a pessoa passe num psiquiatra para receberem indicação para tratamento psicológico, pois só o psiquiatra pode atribuir um CID, existindo uma briga imensa do Conselho Federal de Psicologia com os planos de saúde, visto que o psicólogo não está de maneira alguma subordinado ao médico, pois são de campos de saber distintos e autônomos, que podem conversar, mas sem um se sobrepor ao outro.