Acompanhamento Terapêutico

Ir até a padaria, dar uma volta na rua ou no parque, ir ao cinema, comprar roupas numa loja, ir cortar o cabelo. Estas e tantas outras atividades simples e de grande importância acabam sendo extremamente difíceis para algumas pessoas, por diversas razões. Há situações em que sair de casa é algo difícil, noutras até mesmo sair do próprio quarto pode ser um desafio.

Nestas situações em que a pessoa necessita passar por um processo de ressocialização, um Acompanhamento Terapêutico (AT) pode ser indicado. O acompanhante terapêutico desenvolverá um trabalho com a pessoa para possibilitar uma circulação menos angustiante ou aterradora pelo mundo, ou seja, tentará proporcionar à pessoa condições que lhe permitam, gradualmente, habitar novamente o mundo que está ao seu redor de maneira mais harmônica e buscará junto com o acompanhado encontrar espaços onde suas especificidades e necessidades também possam ser contempladas.

Desta forma, o acompanhante terapêutico vai até a pessoa, em geral até sua casa, e podem sair (ou não) para circular ou realizar alguma atividade específica (pré-combinada ou não). Ou seja, o atendimento é realizado fora dos moldes de consultórios clássicos ou ambulatórios.

Há também a possibilidade de se contratar o AT para uma atividade específica, como acompanhar a pessoa a ir e voltar de algum outro tratamento que realize semanalmente, alguma outra atividade relacionada com o tratamento, atividades escolares e cotidianas. Mesmo nestes casos de acompanhamento para uma atividade específica, o AT continua sendo um tratamento próprio, com intervenções e raciocínio clínico independentes e que podem enriquecer a compreensão e a terapêutica com a pessoa se houver diálogo com outros profissionais que a atendam também, como psiquiatras, psicólogos, fonos, etc.

Costuma-se combinar o AT por horas de trabalho semanais, variando o número de horas e a periodicidade dos encontros de pessoa para pessoa, dependendo das necessidades apresentadas por cada um.

 

Meu trabalho como AT

Trabalho com adolescentes a partir de 14 anos, adultos e idosos.

Horários: disponibilidade tanto aos finais de semana quanto nos dias de semana, manhã, tarde e noite.

Locais de atuação: residências ou espaços físicos na cidade de São Paulo.

 

Breve histórico do Acompanhamento Terapêutico

O AT surgiu como uma possibilidade de atuação a partir dos movimentos da reforma psiquiátrica e luta anti-manicomial iniciados na década de 50. Portanto, é uma atenção dada ao sujeito que visa mantê-lo inserido ou reinseri-lo na sociedade e que pode trazer por si só, como modalidade de tratamento, contribuições valorosas à pessoa, como auxiliá-la na constituição de novos vínculos com pessoas e/ou instituições, contribuir para sua autonomia e desenvolvimento, bem como auxiliá-la na continuidade de outros tratamentos que realiza (psiquiátrico, psicanalítico, psicológico, terapia ocupacional, dentre outros).